Você realiza um Ecocardiograma, provavelmente porque seu médico escutou um sopro no seu coração, ou então como parte da rotina/check-up. No laudo, veio escrito Prolapso da Válvula Mitral, junto com outras alterações ou, mais frequentemente, como um achado isolado.

O que é essa doença ? Ela é rara ?

Antes de tudo, vamos entender o PVM! A Válvula Mitral é a válvula que divide o lado esquerdo do coração em 2 partes e que permite a passagem do sangue do átrio esquerdo para o ventrículo esquerdo. Ela é composta basicamente por 2 folhetos. Quando uma parte desses folhetos se insinua por mais de 2mm para dentro do átrio esquerdo, damos o diagnóstico de prolapso de válvula mitral através do ecocardiograma.

O prolapso da válvula mitral é a causa mais comum de regurgitação mitral, atingindo de 4-20% da população em geral, mais comum nas mulheres. A grande maioria dessas pessoas apresentam um prolapso discreto, ao passo que até 4% dos pacientes são portadores de prolapso com refluxo severo/importante.

Outros nomes pelo qual essa doença é conhecida são: Síndrome do sopro com clique, Doença de Barlow, Doença mitral mixomatosa e Síndrome da valva mitral frouxa.

O que causa esse meu prolapso ?

A causa do prolapso da válvula mitral geralmente é um crescimento anormal do tecido (estrutura) de um dos folhetos que compõe a válvula -problema primário- por um motivo esporádico ou familiar. No entanto, causas secundárias podem ser responsáveis pelo prolapso, sendo as mais comuns o Infarto Agudo do Miocárdio e a Febre Reumática.

Quais são os sintomas do PVM ?

Em geral, os pacientes portadores de PVM não possuirão sintomas decorrentes do prolapso. Como citado anteriormente, na maioria das vezes o médico escutou um sopro no seu coração, ou então seu diagnóstico foi apenas um achado de exame. No entanto, o PVM pode gerar alguns sinais/sintomas nas pessoas, como: palpitações, falta de ar, intolerância ao exercício, tonturas, arritmias, derrame cerebral e morte súbita.

Qual o tratamento ?

Caso o seu prolapso seja moderado/importante, ou lhe cause sintomas, você deve realizar acompanhamento regular com o seu cardiologista de confiança, já que a prescrição de medicamentos para aliviar os sintomas das arritmias, falta de ar por excesso de líquido no pulmão, ou anticoagulação (para evitar derrames cerebrais) pode ser necessária, em casos específicos da doença. Outras formas mais invasivas de tratamento são a plastia ou a troca da válvula mitral, através da cirurgia cardíaca.

——————————————————————————-

Texto escrito pelo Cardiologista: Dr. Pedro Henrique Pedruzzi Segato

CRM 37.112 – RQE 28231