O que é ?

Trata-se de uma condição que coloca um indivíduo em risco para apresentar um infarto futuramente, e é causada pela obstrução da passagem do fluxo sanguíneo através das artérias coronárias (artérias que irrigam o coração humano) por uma placa de gordura (aterosclerose).

Quais os sintomas ?

Muitas pessoas não apresentam quaisquer sintomas dessa doença. Mas quando os sintomas aparecem, geralmente eles estão relacionados aos esforços físicos. Os os mais relatados são:

-Dor/pressão ou desconforto no centro do peito – Angina;

-Dor/formigamento ou desconforto nos braços, dorso, pescoço, mandíbula ou estômago;

-Falta de ar;

Como diagnosticar ?

O seu cardiologista de confiança irá solicitar os seguintes testes para lhe dizer com precisão sobre a presença e evolução da doença coronariana:

-Eletrocardiograma;

Ecocardiograma;

Teste de esforço ou Cintilografia do miocárdio ou Ecocardiograma com estresse;

-Exame de imagem: Angiotomografia de coronárias ou Cateterismo cardíaco (padrão-ouro);

Quais as complicações da Doença Coronariana Crônica?

A complicação é a Síndrome Coronariana Aguda, ou seja, apresentar um infarto. O Infarto acontece quando essa placa de colesterol dentro das artérias coronárias se rompe e a(s) ocluiu, ou suboclui.

Como saber se estou apresentando um infarto ?

Os sintomas do infarto do miocárdio podem ser os seguintes:

-Dor, queimação, opressão ou desconforto no peito – mais forte do que o habitual;

-Dores nos ombros (tanto o direito quanto o esquerdo), na mandíbula, estômago ou dorso – mais forte do que o habitual;

-Falta de ar súbita;

-Sensação de palpitações/arritmias – alterações na palpação de pulso – acelerado ou irregular;

-Suor intensa/pele pegajosa – associado à dor;

-Náuseas e vômitos ou queimação no estômago/ associados ou não à dor torácica;

Existe tratamento ?

Sim, e o principal tratamento dessa doença são as mudanças do estilo de vida, tais como : parar de fumar, comer bastante vegetais e alimentos ricos em fibra no lugar de carnes e alimentos ultraprocessados, evitar comer alimentos ricos em açúcar, realizar exercícios físicos regularmente (Sim, quem tem placa no coração pode e deve se exercitar! – sob supervisão e acompanhamento médico) e perder peso.

Além disso, o tratamento com remédios é eficaz para a doença coronária. Quando o tratamento medicamentoso não for suficiente, o seu médico cardiologista irá propor a intervenção com implante de stent coronariano (prótese com uma haste de metal que empurra a placa de colesterol e abre a artéria – figura à esquerda) e ou a realização da cirurgia cardíaca – bypass coronariano com pontes safenas e/ou mamárias (figura à direita).

——————————————————————————-

Texto escrito pelo Cardiologista: Dr. Pedro Henrique Pedruzzi Segato

CRM 37.112 – RQE 28231